Social Medias for who?

Social Media in Business The Wolf of Social Media tem por objetivo demonstrar como as influências das tecnologias midiáticas e de redes sociais influenciam o mercado em geral, assim este blog busca atingir pessoas ligadas ao estudo do mercado de ações, redes sociais é também do estudo do comportamento coletivo. A participação dos visitantes, comentando e sugerindo temas para as postagens será muito importante para auxiliar no desenvolvimento e disseminação do blog.

Anúncios

Cognição Social e o Mercado de Ações

Imagem

Cognição social tem sido um tema relevante dentro dos estudos da psicologia por muitos anos, a cognição social está ligada ao meio pelo qual processamos a informação através de meio sociais, como pensar em grupo.

Estamos acostumados a acreditar que tomamos decisões individualmente, entretanto sempre pensamos e decidimos coletivamente, por exemplo, um médico sempre pede auxilio de uma junta quando não consegue solucionar um caso, um policial sempre pede auxilio a seu parceiro ou superior para tomar uma decisão em uma ação, no mundo dos negócios vemos grupos de trabalho que sempre se reúnem para decidir a respeito de novos projetos, aquisições e decisões administrativas, neste cenário é difícil não pensar na influência que as redes sociais têm como ferramenta de formação de grupos para tomada de decisões.

Continuar lendo

O Bolha da Internet nos anos 90 e as Profecias Autorrealizáveis

Profecias autorrealizáveis

dot-com-bubble-background-conceptÉ fato que o mercado de ações opera primariamente em profecias autorrealizáveis. Expectativas de investidores supostamente modificam preços de ações. Se investidores esperam que uma ação suba, muitos irão comprá-la, o que aumenta seu preço, cumprindo as expectativas originais. O processo inverso é semelhante. Isso é uma profecia autorrealizável, pois os preços das ações seguem as expectativas dos investidores. Porém, percebe-se na verdade que previsões de especialistas sobre performance de mercado é um dos maiores exemplos de anti-profecias autorrealizáveis , além disso apesar de que profecias autorrealizáveis de ações acontecem, elas não ocorrem muito frequentemente e, mesmo ocorrendo, são somente por flutuações de pequenos perídos ao invés de padrões de longo prazo. Um grande exemplo desse fenômeno é o boom das ações de tecnologias no fim dos anos 90.

Continuar lendo

Como a Inteligência Social pode Guiar Decisões

A importância das redes sociais e da inteligência social

Em muitas empresas ,os departamentos de marketing têm sido pioneiros em mídias sociais , usando essas ferramentas para insights sobre como os consumidores pensam e se comportam. Com o amadurecimento das tecnologias sociais as organizações tornam-se convencidas de seu poder, assim acredita-se que as redes sociais irão assumir um papel mais amplo: informar estratégia competitiva. Em particular, a mídia social deve ajudar as empresas a superar alguns limites de coleta de informações da velha escola, que normalmente envolve a coleta de informações a partir de uma variedade de fontes públicas e proprietárias e destilando insights usando métodos analíticos testados pelo tempo.

Hoje, muitas pessoas que têm conhecimento especializado e moldam as percepções sobre os mercados estão trocando livremente de dados e pontos de vista através de plataformas sociais. Ao identificar e engajar essas pessoas, empregando potentes análises focadas na Web para informar com significado estratégico a partir de dados de mídia social, canalizando esta informação para as pessoas dentro da organização que precisam e desejam de tais dados, as empresas podem desenvolver uma ” inteligência social” que está voltada para o futuro, de âmbito mundial, e capaz de se reproduzir em tempo real.

Isto não é para sugerir que o “social” irá inteiramente substituir métodos atuais de coleta de informações. Mas deve emergir como um complemento forte. Quando isso acontece, o aprendizado em inteligência social será um ativo crítico para líderes que buscam a melhore base possível para suas decisões.

Neste artigo, vamos explorar quatro maneiras distintas que tecnologias sociais podem aumentar as abordagens de coleta de informações das empresas. Como a imagem abaixo deixa claro, a mídia social tem pouco efeito sobre alguns aspectos do ciclo de inteligência, em particular, a necessidade de identificar as prioridades para a exploração e tomada de decisão ao longo dos próximos 6 a 12 meses , bem como o uso de informações criado para tomar decisões imparciais. Mas as tecnologias sociais podem desempenhar um papel surpreendentemente central na forma como a informação é obtida, coletada, analisada ​​e distribuída.

Screen Shot 2014-05-29 at 7.30.02 PM

Como as mídias sociais estão mudando o pensamento antigo do ciclo de inteligência

Continuar lendo

 Vitória do Brasil na Copa representa risco para ações?

BOLHA4

Nova York – O gerente de hedge-fund Luiz Carvalho não consegue se convencer a torcer contra o Brasil, seu país natal, na próxima Copa do Mundo. No entanto, isso seria extremamente tentador.

bolha5Uma derrota da seleção pentacampeã de futebol no campeonato seria um golpe para a campanha de reeleição da presidente Dilma Rousseff, disse Carvalho, o que reforçaria as possibilidades de um novo governo que fosse mais amigável com os investidores depois do pior desempenho econômico de todas as administrações desde 1992. [1]

Quando as pesquisas começaram a mostrar que Dilma está perdendo popularidade antes das eleições de outubro, as ações brasileiras registraram os melhores retornos do mundo em termos de dólares desde meados de março, rebotando do fundo de um mercado baixista.

“Se tivermos um desempenho ruim na Copa do mundo, haverá maiores chances de ter um novo presidente”, disse Carvalho, sócio-gerente da Tree Capital LLC, como sede em Nova York, em entrevista ontem.

“Tudo o que é ruim para a Dilma é bom para o mercado”.

O fato de Carvalho, um torcedor que se lembra de como se sentiu quando tinha 8 anos e o Brasil venceu a Copa de 1970, estar disposto a considerar os benefícios de uma derrota no campeonato mostra o desespero dos investidores por uma nova liderança.

 O apoio a Dilma está caindo depois de 44 meses de uma inflação acima da meta, além dos protestos realizados no ano passado por brasileiros contrariados pelo fato de o governo estar gastando US$ 11 bilhões para sediar o campeonato de futebol em um país onde 7,2 milhões de pessoas ainda vivem com US$ 1,25 ou menos por dia. [1]

Continuar lendo

A Bolha das Tulipas

Bolha das Tulipas da Holanda

bolha1           Este é um exemplo real da primeira bolha econômica ocorrida no mercado financeiro e de como os seres humanos muitas vezes agem de acordo com a tendência do grupo. O texto foi retirado de um artigo escrito por Luis Nassif [1].

            bolha3No início do século XVII, as tulipas se tornaram um símbolo de status na Holanda e isso fez com que seus preços começassem a subir. Quanto mais rara a tulipa, mais valiosa ela era considerada. Especuladores logo perceberam que podiam lucrar com essa mania e passaram a comprar bulbos para revendê-los a preços ainda mais caros. A mania por tulipas era tão grande que os preços chegaram a aumentar 20 vezes em um único mês. As plantas eram consideradas tão valiosas que muita gente dava todos os seus bens em troca de um simples bulbo, que poderia custar dinheiro o suficiente para sustentar por meses toda a tripulação de um navio.


Continuar lendo

Histórico das Mídias Sociais

Para que possamos entender o impacto das mídias sociais sobre o mercado de ações, é muito relevante observar o quão grande essas ferramentas vem se tornando com o passar dos anos. Com a imagem abaixo é possível visualizar a forma histórica como essas mídias passaram a se tornar cada vez mais importantes, tanto como ferramentas cotidianas, como para os negócios, comercio, marketing, comunicação social, globalização e também para o mercado de ações.

Abaixo segue uma linha do tempo onde é apresentado o histórico e evolução das mídias sociais.

Clique na imagem para ampliar

FONTE: IDMARK – Histórico das Mídias Sociais. Disponível em: http://www.idmark.com.br/sitenovo/historico-das-midias-sociais/. Acessado em: 27/05/2014

O Lobo do Brasil

Untitled1Recentemente o pais assistiu uma enorme massa de pessoas que se reuniram para protestar nas ruas, milhares de brasileiros saíram as ruas com cartazes e rostos pintados, cantando o hino nacional e pedindo melhores condições de vida. Pode até parecer que isto não tem ligação com o twitter ou facebook, entretanto estas redes sociais foram o meio utilizado para reunir e marcar estes protestos, desde então o Brasil deseja monitorar as redes sociais e descobrir o que elas podem causar de impacto em nossa sociedade. Não é de hoje que o poder de divulgação de notícias em redes sociais tem influência na vida dos brasileiros. Recentemente o caso dos tomates acima do preço comum, ganhou espaço nas timelines e murais de diversas pessoas fazendo com que a sensação de aumento dos preços extrapolasse o tomate, causando mal-estar no setor alimentício.

Mas e o mercado de ações?

É de se esperar que a grande massa tenha influência nas decisões econômicas do pais, afinal de contas o conceito de cognição social nos mostra que durante o processo de conhecimento do eu existe a clara dependência do conhecimento do nós, assim quando uma empresa decide partir para o mercado, antes dela se posicionar ela aguarda o mercado se posicionar primeiro. No Brasil, um caso interessante é o de Eike Batista e suas empresas “X”, o empresário brasileiro tem atuação frequente no Twitter, onde costumava falar com otimismo sobre o desenvolvimento das obras e projetos das empresas do grupo, elevando assim a ideia de estabilidade e confiança do conjunto da obra. Muitos acionistas leigos acreditavam que esta divulgação maciça era uma ótima opção de investimento até que com o fim do “Boom” brasileiro as empresas caíram em declínio e as ações despencavam. A CVM (Comissão de Valores Mobiliários) chegou até a monitorar as redes sociais afim de evitar novos transtornos de mesma origem.

Brazilian Way

Talvez a grande cartada do presidente norte americano Barack Obama nas eleições de 2008, foi a utilização das mídias sociais para divulgação de suas metas e planos caso eleito. Aqui no Brasil, a presidente Dilma tenta fazer o mesmo divulgando frequentemente em seu Twitter oficial as suas conquistas governamentais. Isso aumenta a sensação publica de confiança na presidência e cria um clima de aproximação com o público, tais fatos, aliados a divulgação fácil que existe nas redes sociais, faz com que a popularidade da presidente Dilma cresça, isto em teoria como ocorreu com Obama. Porém com as crescente ondas de protesto e o clima de incerteza futura que paira sobre o Brasil, as postagens da presidente não tem o poder que as postagens de descaso publico e protesto publicadas diariamente pelo internautas, fazendo com que o Brazilian Way desta divulgação vire-se contra a presidência. Em uma matéria no site Brasil Econômico, link abaixo) é levantado que a queda na popularidade da presidente Dilma Rousseff impulsiona os negócios e que desde meados de Março a bolsa de valores já registra valorização de 13,66%.

FONTES

CVM estuda monitorar redes sociais, após caso Eike. (09 de Julho de 2013). Fonte: Brasil Econômico

Mercado financeiro especula com eleições. (06 de Maio de 2014). Fonte: Brasil Econômico

Preço do tomate já chega a R$ 20,00 nas feiras de SP por causa do calor. (09 de Março de 2014). Fonte: Estadão